;

Especiais

Região| Universitários são prejudicados com as más condições da MT-100

Foto: Eduardo Candido/ASCOMPrefeitura

Com informações do Agora MT

Devido às más condições da rodovia MT-100 que liga o município de Alto Araguaia a Alto Taquari, alunos da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) que residem em Alto Taquari e estudam na cidade vizinha gastam em média 1h30, para percorrer o trecho de 65 quilômetros. O tempo de viagem é o dobro do gasto devido aos buracos e isso tem prejudicado os alunos que acabam se atrasando todo os dias.

A estudante de Ciência da Computação, Jéssica Josiane Wagner, disse que pelo fato de não conseguirem chegar na 1ª aula, o rendimento dos alunos não é 100%. “A solução que encontramos foi a de pedir ajuda para algum colega de sala depois, para não ficarmos perdidos em meio ao conteúdo”, relatou a estudante.

A professora da Unemat, Cecília Nobre, que tem duas alunas que moram em Alto Taquari, falou que entende a situação das acadêmicas e não coloca falta nos primeiros horários porque entende que é uma situação que não dependem delas. “ Eu evito de passar atividades avaliativas nos primeiros horários e o conteúdo passado e sala disponibilizou por meio dos grupos de e-mail, facebook, ou com os colegas para que elas não saiam prejudicadas”, completou.

OUTRO LADO

Em nota a assessoria da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) informou que a estrada está sendo restaurada, mas que o trecho foi concessionado.

Confira a nota na íntegra:

“Está sendo executado o serviço de restauração da rodovia MT-100, entre Alto Araguaia e Alto Taquari. Este trecho da rodovia MT-100 foi concessionado, e a empresa vencedora ficará responsável por vários investimentos na rodovia.

Entre os serviços que estão definidos no contrato estão a restauração completa da rodovia com implantação e adequação de acostamentos (plataforma em 12 metros), implantação de terceira faixa em trechos críticos, Serviço de Atendimento ao Usuário (SAL), guinchos, ambulâncias, caminhões pipa, balança de pesagem e viatura para monitoramento do tráfego.

Além da recuperação das estradas, a concessão vai investir em vias marginais, reforma de intercessões e rotatórias, faixas e redutores de velocidades, baias para parada de ônibus com abrigos para passageiros, trazendo segurança para os pedestres”.