;

Especiais

Cuidado! Veja o que pode cortar o efeito do anticoncepcional

Com informações do Notícias ao Minuto
A pílula anticoncepcional foi criada no dia 18 de agosto de 1960 e de lá pra cá, essa conquista da mulher foi tomando forma, a ponto de descobrirmos os contra do uso deste contraceptivo.
Atualmente sabe-se que sua eficiência para tratar pessoas com ovários policísticos ou com a síndrome do ovário policístico, pessoas que queiram diminuir cólicas, fluxos, acnes e até a quantidade de pêlos no corpo, estão comprovadas.
Mas poucas gente sabe que para a pílula ser 100% efetiva é necessário se tomar um grande cuidado com o que ingerimos, pois pode correr o risco de cortar o efeito do anticoncepcional. Veja alguns casos que isto pode acontecer:
Remédios
Infelizmente, alguns remédios da família dos antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional. Isso acontece porque a eliminação dos hormônios deixa de ser gradual e torna-se mais rápida. Mas, em relação à interferência somente há a comprovação de que alguns destes remédios tem esse efeito de anular o anticoncepcional. São eles: a rifampicina e rifabutina, utilizados para tratar tuberculose, hanseníase e prevenir a meningite.
Anticonvulsivantes
Alguns remédios conhecidos por auxiliar no tratamento de doenças convulsivas também podem atenunar a eficácia da pílula. Entre os exemplos, estão os que têm Fenitoína, Fenobarbital, Carbamazepina ou Topiramato em sua composição. Para maior segurança, utilizeum método adicional ou fale com o seu médico para tomar uma dose maior da pílula.
Antirretrovirais
Pessoas que precisem de medicamentos utilizados para o tratamento de infecções por retrovírus, como o HIV, também podem vir a engravidar mesmo com a utilização da pílula.
Ervas
Erva-de-São-joão
Também conhecida como Hypericum é usada por muitas pessoas como um tratamento natural para a depressão e ansiedade, mas os especialistas afirmam que o seu uso pode ser muito prejudicial para quem utiliza anticoncepcionais por via oral e, por isso, aumenta a possibilidade de ficar grávida. A Agência de Produtos Médicos da Suécia, confirmou que o efeito desta planta em nosso organismo pode ser de até duas semanas. Por isso, há a necessidade de consultar um especialista para se prevenir de uma forma mais eficaz.
Hibisco
Alguns médicos e estudiosos já afirmaram que o chá de hibisco interage de alguma forma com o anticoncepcional diminuindo a sua eficácia, porém nada foi comprovado até o momento. O que alguns dizem que pode vir a acontecer diz respeito a uma grande ingestão do chá de Hibisco o que poderia fazer com que ele o anticoncepcional pudesse ser eliminado mais rapidamente. Isso se daria por conta da característica diurética do Hibisco, que causaria a rápida eliminação do medicamento através da urina. Consequentemente, isso reduz a eficiência em proteger a mulher de uma possível gravidez.
Doenças
Determinadas condições médicas podem causar vômitos e diarréias frequentes, com isso diminuindo a eficácia do anticoncepcional. Poderíamos citar aqui a doenças de Crohn, doença inflamatória do intestino. Outro exemplo é a retocolite ulcerativa, entre outras que podem causar sintomas bem parecidos com os falados anteriormente. Por isso, procure a orientação de um médico.
Álcool
Bebidas alcóolicas não alteram o efeito do remédio, mas o seu uso constante pode acarretar em aumento dos níveis do hormônio feminino chamado estrogênio. Com isso, haverá muita dor de cabeça. inchaço e problemas gastrointestinais.