;

Especiais

Região| Policiais predem quadrilha que assaltou agência do Banco Bradesco de Chapadão do Sul

O Correio News

Com informações da Verde Vale 

Uma informação do Garras (Grupo Armado de Resgate e Repressão a Assaltos e Sequestros) da Polícia Civil em Campo Grande desencadeou uma série de acontecimentos em Chapadão do Sul que exigiram agilidade extrema do Poder Judiciário e capacidade de convencimento do delegado para manter presos em São Paulo quatro pessoas apontadas como as principais suspeitas do assalto ao Banco Bradesco. Eles foram interceptados pela Polícia Militar da cidade de São José do Rio Preto (SP) numa abordagem de rotina. Por serem do MS o Garras ficou sabendo do fato um policial do grupo acionou o delegado Danilo Mansur que interagiu com o colega de SP que já ia soltar o grupo. Neste momento foi acionado o juiz da 1 Vara de Justiça, Dr. Silvio Prado, que foi tirado de uma sala de cinema para expedir o Mandado de Prisão Provisória mais rápido da comarca.

Pronto. Tecnicamente estava tudo pronto para assegurar a manutenção do trio detido para esclarecer como foi praticado o roubo mais espetacular numa agência bancária de Chapadão do Sul. Eles serão transferidos para Chapadão do Sul. O celular de um deles continha conversas que associava o grupo aos detalhes do roubo cinematográfico, incluindo uma filmagem do interior da agência com o movimento de correntistas. A pessoa que produziu o vídeo (ou vídeos) estava – aparentemente – sentada como se fosse um cliente comum em busca de serviço.

Nos celulares apreendidos também tem imagens da moto registrada pelas câmeras de vigilância externa da agência com dois homens em atitudes suspeitas observando o banco. Várias ferramentas foram encontradas no carro interceptado em São José do Rio Preto. Todos estes elementos praticamente formam o quebra cabeças que levará a polícia até os autores e – quem sabe – os mentores. As pessoas presas possuem passagens por furto / roubo / tráfico de drogas / e envolvimento com porte ilegal de arma. Dois integrantes do grupo são de Chapadão do Sul e os demais de Paranaíba.

Uma das imagens mostra um vigilante carregando um malote de dinheiro do cofre para fora da agência, num trabalho de monitoramento interno das rotinas do banco. O planejamento pode ter levado semanas e quando gravaram a parte interna já tinha estabelecido a rota de entrada. O caso também retrata a fragilidade do sistema de segurança destes estabelecimentos em relação aos criminosos. Qualquer micro câmera ou celular pode produzir imagens com detalhes internos. Foram presos Renan Azevedo (27) / Ermando Arantes de Souza (38) / Paulo Vitor Dias / Renata Ferreira. Eles estavam com cerca de R$ 4 mil no momento da prisão.