;

Especiais

Pesquisa| Quase 60% das estradas federais em MT estão mal avaliadas, segundo pesquisa da CNT


Com informações do G1

Uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), na quarta-feira (17), apontou que em Mato Grosso 59,5% das estradas federais que cortam o estado são consideradas regular, ruim ou péssima.

De acordo com o estudo, dos 4.810 km de rodovias, 2.171 km, que corresponde a 45,2%, foram considerados regular; 406 km (8,4%) estão ruins e 283 km (5,9%) foram classificados como péssimos.

Desse total, 1.578 km (32,8%) foram avaliados como bons e 372 km, que representa 7,7% do total, foi considerado ótimo.


A CNT questionou caminhoneiros e motoristas de transportadoras tanto sobre trechos administrados por concessionárias, quanto pela administração pública.
Dos trechos concedidos, 308 km (31,4%) foram avaliados como regulares, enquanto que 30 km (3,1%) como ruins. Nenhum trecho foi classificado como péssimo.

Ainda sobre os trechos administrados por empresas privadas, 222 km (22,6%) foram avaliados como ótimo e 422 km (42,9%) como bom.

No caso dos trechos sob administração pública, 1.863 km (48,7) receberam avaliação regular, 376 (9,8%) ruim e 283 km (7,4%) foram classificados como péssimos.

Ainda sobre os trechos administrados pelo poder público, 1.156 (30,2%) foram classificados como bons e 150 (3,9%) como ótimos.

Com relação à extensão dos trechos federais, 1.972 km, que corresponde a 49,7% foram avaliados como regulares, 190 (4,8%) ruins e 10 km (0,3%) foram julgados como péssimos.

Nessa mesma extensão, os motoristas disseram que 1.432 km (36,1%) estão bons e, 60 km (9,1%) estão ótimos.

No caso dos trechos de rodovias estaduais, 273 km, correspondente a 32,2%, foram avaliados como péssimos. Outros 216 km (25,5%) ruins e 199 km (23,5%) foram considerados regulares.

Ainda sobre esses trechos, 146 km (17,3%) foram classificados como bons e 12 km (1,4%) como ótimos.

A 22ª edição da pesquisa avaliou mais de 107 mil km em todo o país, por meio de entrevistas com caminhoneiros autônomos e de transportadoras.

Foram pesquisados quesitos como qualidade do pavimento e sinalização.

O objetivo da pesquisa é contribuir com a definição de políticas públicas que possam melhorar a qualidade das rodovias.