;

Especiais

Mato Grosso| 7 frigoríficos estão com abates de bovinos suspensos por causa de protesto dos caminhoneiros


Com informações do G1

As 27 unidades frigoríficas de Mato Grosso estão com os abates de bovinos suspensos por causa da paralisação dos caminhoneiros, de acordo com Sindicado das Indústrias de Frigoríficos do Estado (Sindifrigo). Com as rodovias bloqueadas, os animais não chegaram aos frigoríficos e a carne não chega ao consumidor.

O Sindifrigo afirma que, em média, 17 mil animais deixam de ser abatidos por dia no estado.

A Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) explica que desde quarta-feira (23) a indústria já havia reduzido a aquisição de animais.

Desde então, cerca de 90% das indústrias não compraram bois e vacas para abates, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Por causa disso, na sexta-feira (25) os abates foram suspensos.

A Acrimat diz que os prejuízos para a cadeia da pecuária de corte estão estimados em R$ 36,5 milhões por dia.

O cálculo considera apenas a comercialização de animais, sem contabilizar a movimentação em decorrência da venda de carne.

“Os animais não saem da propriedade, não chegam à indústria e, consequentemente não chegam aos supermercados, nem aos consumidores”, disse o diretor executivo da Acrimat, Luciano Vacari.

A entidade reconhece que a paralisação dos caminhoneiros é legítima, porém, a situação da cadeia produtiva da pecuária de corte é considerada preocupante, uma vez que a indústria não está conseguindo escoar a produção para retomar o abate.

Para tentar minimizar os impactos e assegurar aos caminhoneiros que o veículo está carregado com cargas vivas ou perecíveis, os caminhões estão sendo adesivados com um selo específico que garante a passagem direta pelos pontos de bloqueio.

Além disso, segundo representantes do movimento, o motorista que estiver com carga viva ou perecível pode procurar os líderes da manifestação em cada ponto de manifestação, apresentar a nota fiscal, que a carga será liberada.