;

Especiais

Alto Taquari| Vice rebate críticas mostrando resultados positivos do Departamento de Tributos


Da Redação com informações da ASCOM

O trabalho de inspeção realizado pelo Departamento de Fiscalização e Tributos (DFT) de Alto Taquari gerou muitas críticas nas redes sociais por causa das  blitz que são realizadas na cidade em dias e horários diferentes, cujo objetivo é coibir a sonegação de impostos. A última blitz realizada na MT 100 sentido Costa Rica-MS contou com apoio do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e da Polícia Militar.  A barreira foi realizada na divisa dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Desde que assumiu o Departamento de Fiscalização e Tributos, o vice-prefeito Marco Aurélio mudou a forma de trabalho que há anos vinha sendo realizado.  A fiscalização antigamente não era tão efetiva, uma vez que os Fiscais tinham que fazer os serviços administrativos o que tomava tempo dos servidores e os sobrecarregavam.  Agora o vice e os Fiscais de Tributos saem às ruas para fiscalizar.
E com a boa atuação dos fiscais, as fiscalizações passaram a ser constantes e mais rigorosa,  o que acabou colocando o Departamento de Fiscalização e Tributos em evidência nas redes sócias.  

"Estamos simplesmente 'fechando o cerco' contra aqueles, que por alguma razão, ainda acham que devem sonegar impostos que por direito viriam para o município de Alto Taquari e, posteriormente investidos na Saúde, Educação, na recuperação das nossas ruas e avenidas, entre tantas outras atividades para a melhoria da qualidade de vida da população, já que se trata de recursos próprios", esclareceu Marco Aurélio.

Quanto aos resultados das operações, Marco exemplificou que, durante um período de 30 dias, foram feitas sete barreiras volantes e houveram 32 carretas conduzidas. Tais veículos estavam com as mais diversas irregularidades, entre elas: documentos inidôneos, notas falsas, notas irregulares, algumas sem notas e, até mesmo, alguns que "furaram" o bloqueio fiscal.

A fiscalização não está apenas nas ruas, mas também internamente, onde segundo Marco Aurélio, “está em andamento no DFT um trabalho minucioso de cruzamentos de dados com órgãos do governo estadual. A intenção é coibir todo e qualquer tipo de sonegação fiscal”.

Já em resposta as críticas que vem sofrendo, Marco Aurélio enfatizou que está no poder público para trabalhar e que se  fosse seguir a lei, estaria em sua casa recebendo salário sem trabalhar, uma vez que é o vice-prefeito.

+ Com apoio da PM, DFT realiza blitz para evitar entrada e saída de mercadorias irregulares no município

“Vivemos num país democrático. Não estou aqui para fingir trabalhar, até porque, como vice-prefeito que sou eu poderia estar em casa recebendo salário, como este previsto em lei. Ao contrario, trabalho duro! E, juntamente com o prefeito Fabio e toda a equipe, estamos trabalhando muito para que Alto Taquari possa ser um lugar melhor para se viver e trabalhar.”

Ainda em resposta as críticas ele garante não estar causando problemas, mas sim resolvendo com base nas leis.

“É bem simples, o DFT não sai criando problemas para ninguém, apenas tentamos resolve-los, conforme manda as legislações vigentes, as quais nos dão os parâmetros para a realização dos trabalhos e, pra isso, o trabalho de fiscalização municipal tem que acontecer”, finalizou Marco Aurélio.