;

Especiais

Mato Grosso| Seduc inicia projeto-piloto de combate ao analfabetismo

A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT) vai investir mais de R$ 2,5 milhões ao ano em um projeto-piloto de combate ao analfabetismo em municípios com baixos índices de alfabetização. Serão beneficiadas, inicialmente, cerca de 18,3 mil pessoas.

Na tarde de quarta-feira (28.12), o secretário de Educação, Esporte e Lazer, Marco Marrafon, e os prefeitos de Nossa Senhora do Livramento, Carlos Roberto da Costa; Planalto da Serra, Angelina Pereira; e Ipiranga do Norte, Pedro Ferronato; além da prefeita eleita de Chapada dos Guimarães, Telma de Oliveira, assinaram o termo de cooperação para a implantação do projeto-piloto que terá o nome de Programa Muxirum da Alfabetização.

O programa contempla ainda, na primeira fase, outros quatro municípios, com diferentes taxas de pessoas sem instrução formal: Várzea Grande, Acorizal, Jangada e Tapurah.

Marrafon destacou que a iniciativa visa a implementação de ações conjuntas que assegurem a instrução de pessoas jovens, adultas e idosas dessas regiões. A Seduc vai garantir a formação de coordenadores e formadores de turmas, o custeio de bolsas aos alfabetizadores, a cessão de salas de aulas em prédios do Estado e demais necessidades.

Já o Município terá a responsabilidade de mobilizar a sociedade, selecionar e manter os coordenadores locais, vinculados às Secretarias Municipais de Educação, auxiliar na busca de pessoas analfabetas, ceder espaços funcionais, entre outras tarefas. “Queremos estabelecer uma política intensa de combate a esse problema e erradicar o analfabetismo em Mato Grosso. É uma mudança de postura”, disse Marrafon.

Dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontaram que cerca de 196 mil pessoas acima de 15 anos, em Mato Grosso, não sabiam ler e escrever naquele ano. Esse número representaria 7,8% da população mato-grossense.

Segundo Marco Marrafon, o objetivo do projeto-piloto é mostrar à sociedade que a erradicação é possível. E, a partir das experiências exitosas nesses municípios, expandir a ideia para outras regiões do estado. “Temos a necessidade muito grande de implantar essa política pública e precisamos contar com a parceria das prefeituras”, enfatizou o secretário.

O prefeito Carlos Roberto da Costa enfatizou a união de esforços entre Estado e municípios. “A taxa de analfabetismo de N. S. do Livramento é bem expressiva e bastante preocupante; no mundo competitivo em que vivemos, para a pessoa que não tem nenhum grau de instrução as oportunidades serão muito restritas, quase inexistentes. Portanto, precisamos dessas parcerias”, afirmou.

Dados

As taxas de analfabetismo nos oito municípios participantes do projeto-piloto variam de 5,2% a 23,6% das respectivas populações.

Acorizal possui cerca de 980 pessoas analfabetas, o que representa 23,6% da população.

Nossa Senhora do Livramento vem logo abaixo, registrando aproximadamente 2.000 pessoas, ou seja, 22,8% da população. Nova Brasilândia e Jangada contam com cerca de 20,2%, sendo 690 e 1.118 analfabetos, respectivamente.

Em seguida está Planalto da Serra, com 274 pessoas analfabetas, cerca de 13,9% da população.

Várzea Grande, Tapurah e Ipiranga do Norte têm aproximadamente 5,2% de cidadãos analfabetos.

Muxirum

A palavra “muxirum”, muito comum no linguajar cuiabano, é de origem tupi e significa “mutirão”, “fazer juntos”.


“Para que tudo dê certo, é preciso unir forças; por isso, vamos buscar parcerias com os órgãos oficiais, organizações da sociedade civil, empresas públicas, e quem mais se dispor a colaborar”, informou o coordenador de Educação de Jovens e Adultos da Seduc, Antônio Marcos Passos.

Notícias ao minuto