;

Especiais

Região| Polícia Civil cumpre três mandados de prisão e um de busca e apreensão em Mineiros (GO)

Com informações da Rádio Verde Vale FM
Na manhã desta quarta-feira (13) a Polícia Civil de Mineiros (GO), cumpriu três mandados de prisão e um de busca e apreensão por tráfico de drogas e associação ao tráfico. De acordo com as investigações, Vinícius Goveia Castro, Ana Laura Nunes Pequeno, Renato Carrijo Rodrigues e Guilherme Santos Garaffa, vendiam drogas sintéticas em festas badaladas da cidade. No início do ano, Vinícius já havia sido preso com mais de 50 comprimidos de ecstasy pela Companhia de Policiamento Especializado (CPE), mas a justiça entendeu que a prisão teria sido ilegal e ele respondia o processo em liberdade. A Polícia Civil deu prosseguimento as investigações que culminou na prisão dos envolvidos.
Nas residências de Vinícius Goveia, Ana Laura e Guilherme Garaffa não foi localizado nenhum entorpecente. Mas a Polícia Civil, durante as investigações, se infiltrou em festas e pode presenciar a venda dos entorpecentes. Na residência de Renato Carrijo Rodrigues a Companhia de Policiamento Especializado (CPE), que auxiliou na operação, encontrou, durante o cumprimento de busca e apreensão, cerca de 300 gramas de maconha e alguns comprimidos aparentando ser ecstasy e uma balança de precisão. O delegado Júlio Cezar Arana Vargas, informou que Vinícius, Ana Laura e Guilherme responderão por tráfico de drogas e associação. Já Renato deve responder por tráfico de drogas.
Vinícius e Ana Laura são estudantes do 10º período de odontologia e iriam se formar ainda esse ano. A Polícia Civil afirma que Ana Laura cuidava da contabilidade e recebia o dinheiro das vendas das drogas. Apesar de não ter encontrado drogas nas residências dos suspeitos, a PC tem certeza do envolvimento dos detidos no tráfico de entorpecentes. A droga vendida por eles chega a valer R$ 80 o comprimido. “São drogas altamente prejudiciais ao ser humano. Elas atingem o sistema nervoso central e causas alucinações nos usuários. O grupo atendia, principalmente a classe média alta e estudantes em festas realizadas em Mineiros”, afirma Arana. O envolvimento de outras pessoas na distribuição dessas drogas não está descartado pela Polícia Civil.