;

Especiais

Região| Em greve há duas semanas, Santa Casa anuncia fechamento da UTI Pediátrica


Com informações do Agora MT

Há duas semanas com os atendimentos parcialmente paralisados pela 3ª vez neste ano, a Santa Casa de Rondonópolis, anunciou o fechamento total da UTI Pediátrica a partir desta quarta-feira (08), após um ano e dois meses de prestação de serviço para a população.

De acordo com o superintendente executivo da Santa Casa, Eder Lúcio de Souza, essa decisão foi difícil de ser tomada, devido aos médicos e fisioterapeutas estarem há cerca de quatro meses sem receberem os honorários repassados pelo governo do Estado de Mato Grosso.

 “Toda região sul e parte do norte do estado de Mato Grosso vão ser afetados. É com muita tristeza que damos essa notícia. O serviço está sendo fechado e nos causa enorme desgosto, não temos mais plantonista o suficiente para a jornada de trabalho. Não temos mais opção, já começou a faltar material para assistência hospitalar” explicou o superintendente.

Segundo o diretor clínico da Santa Casa de Rondonópolis, Luciano Oliveira, os profissionais que prestavam de serviço dentro da UTI Pediátrica são geralmente de outros estados, como Paraná, São Paulo e Tocantins.

“Esses médicos e fisioterapeutas não possuem condições de permanecerem em nosso município sem o recebimento dos serviços prestados. Infelizmente é uma notícia muito triste comunicar a população o fechamento da UTI Pediátrica da Santa Casa de Rondonópolis, devido ao atraso  por parte do governo. Recebemos um comunicado por parte das empresas onde cada profissional é vinculado, explicando não poderão mais prestar serviços na UTI Pediátrica” ressaltou Luciano.

Para o coordenador de serviço de fisioterapia da Santa Casa, Luciano Machagata, o fechamento da unidade é uma consequência catastrófica a toda população, há cerca de um ano e dois meses quando a unidade da UTI foi inaugurada, não se ouviu mais relatos de crianças que estão sem cuidados e sem socorro nas unidade de saúde da cidade.

 “A partir de amanhã volta a acontecer esse tipo de situação, vamos ver crianças sofrendo sem retaguarda, sem uma unidade para atendimento no porte e infraestrutura que esta Unidade de Terapia Intensiva oferece; e isso para nós que participamos dessa construção, desse serviço, dessa estruturação, é muito doloroso, vamos ter que juntar os cacos e, até pode ser que nos próximos dias e nos próximos meses as coisas se resolvam. Mas, não é fácil reestruturar um serviço de alta complexidade como este. As pessoas foram embora e para quem fica, é ter que juntar o que restou no chão” desabafa o coordenador.


Nesta terça-feira (07), os dois paciente que se encontram internados na UTI Pediátrica da Santa Casa de Rondonópolis, devem ser transferidos para outras unidades que atenda pelo Serviço Único de Saúde (SUS), possivelmente para outras cidades como Cuiabá, Tangará da Serra, ou, até para outros estados.