;

Especiais

Eles e Elas| Depilação pode causar consequências indesejadas; entenda

Um grupo de pesquisadores norte-americanos decidiu explorar a tendência em crescimento de depilar, cortar ou aparar os pelos púbicos. Eles descobriram que esta prática comum pode ter consequências indesejadas.

A pesquisa questionou 14.409 pessoas sobre os seus hábitos de cuidados com os pelos, sobre o seu histórico sexual e casos de DST – Doenças Sexualmente Transmissíveis.

Quase três quartos dos inquiridos admitiram ter aparado os pelos no passado- sendo que mais mulheres (84%) do que homens (66%) adotavam esta prática.

A equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia classificou de ‘groomers extremos’ os que removiam todos os pelos púbicos mais de 11 vezes por ano e descobriu que estes tendiam a ser mais jovens e a ter mais parceiros sexuais.

Como reporta o Daily Mail, 13% admitiu ter tido pelo menos uma DST – herpes, VPH, sifílis, gonorreia, clamídia, VIH, molusco ou chatos.


Sendo que quem aparava, cortava ou depilava os pelos púbicos tinha 80% mais risco de ter uma das infecções acima mencionadas. A intensidade e frequência dos cuidados com os pelos púbicos estavam ligadas a uma maior risco no entanto viam o risco de infestação de chatos reduzido.

Noticias ao minuto